Terça, Junho 27, 2017
   
Texto
      

Bradesco é investigado por dever mais de R$ 2,75 bilhões para Receita Federal do Brasil

Por Paulo França

(leitores em 122 países, lectures in 122 countries) (*)

Agência Internacional de Notícias (AIN)

International News Agency (**)

publicado em 23/05/2017 – 08h37min

O Banco Bradesco S.A. informou, em 04 de abril de 2017, que recebeu intimação da Corregedoria Geral do Ministério da Fazenda do Brasil sobre a abertura de processo administrativo de responsabilização de pessoa jurídica.

A instituição financeira Bradesco – que desrespeita seus clientes ao emprestar recursos financeiros com taxas de juros abusivos, não aumenta limites de crédito, não repassa linhas de microcrédito para micros e pequenos empresários e fecha conta-corrente de forma unilateral devido à perseguição à jornalista, é investigado no âmbito da Operação Zelotes da Polícia Federal, por suspeita de praticar atos contra a administração pública, com supostas compras de decisões tributários favoráveis no Conselho Administrativo de Recursos Financeiros (CARF) da Receita Federal do Brasil.

A suposta dívida do Banco Bradesco S.A. junto à Receita Federal do Brasil é de mais de R$ 2,75 bilhões a partir de abril de 2015.

Além do processo na Corregedoria Geral do Ministério da Fazenda contra o Banco Bradesco S.A., a instituição financeira ainda vem sendo processada criminalmente na 10ª Vara Federal de Brasília, capital federal do Brasil.

Estão sendo investigados pela Justiça do Brasil os seguintes executivos do Banco Bradesco S.A.: Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente da instituição financeira; Domingos Figueiredo de Abreu, vice-presidente; Luiz Carlos Angelotti, diretor-gerente de controladoria; e mais 6 executivos do banco, com risco de serem presos de forma preventiva.

A instituição financeira promove atualmente, em diversos veículos de comunicação, campanha publicitária enganosa, onde afirma que tem o intuito que todos os clientes do banco caminhem para frente. Isso não é verdade, pois a instituição financeira cobra - principalmente de micros e pequenas empresas e pessoas físicas, taxas de juros e outros encargos financeiros abusivos, bem como não é compreensiva em relação às necessidades financeiras de seus clientes.

(*) Paulo França é um jornalista internacional e escritor, tendo fundado a Agência Internacional de Notícias em 2002.

(**) A Agência Internacional de Notícias divulga notícias, empresas e governos no formato de multiplataforma e crossmedia, em convergência com as redes sociais, com mais de 3.900.000 acessos.

Copyright by PFC Internacional 2017. O conteúdo desta material não pode ser reproduzido, por quaisquer meios, sem autorização prévia da empresa controladora deste veículo de comunicação.

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

whatsapp e tim de São Paulo: 55.11.9.4779.8404

Para mais informações acesse: http://www.valor.com.br/financas/4926366/zelotes-corregedoria-da-fazenda-abre-processo-contra-bradesco

Busca

REDES SOCIAIS

Anunciantes